Sunday, March 15, 2009

(In)Definição de Saudade

Direitos Reservados

Enquanto escrevo esta carta penso na melhor forma de explicar-te sssa coisa chamada saudade que os portugueses trouxeram do mar, num dia qualquer de tormenta, numa dessas viagens sem fim , até ao fim do mundo. Peço-te agora, meu bem, -para que o significado dessa estranha palavra entre também dentro de ti, - que coloques a tua mão no meu ombro enquanto escrevo, para que vejas como se processa a saudade: as palavras como desejo, carinho, compreensão, insaciedade, sonho, prazer, riso, cor, verão, calor, vão escorrendo das minhas mãos para o papel; por sua vez, o papel transfere as emoções de novo para mim, os meus olhos ficam cheios de orvalho e uma dor de barriga instala-se na zona abdominal; não te rias, é mesmo assim; então, as palavras de novo dentro de mim começam a subir como pequenas borboletas bandoleiras, e vão formando pequenos nós na minha garganta; Os olhos fecham-se, as palavras transformam-se em sentimentos e caem como um rio na minha face; da minha boca soltam-se pétalas vermelhas que voam por todo o lado ; começo a correr atrás delas como louca; mas em vão; porque quando penso que as tenho, que finalmente tenho aquelas palvras todas de volta- o desejo, o calor, a insaciedade, a compreensão, o fogo, a água, a manhã- .....elas desaparecem como miragens entre os meus dedos; finalmente, Sinto os dedos tremerem, e a pele arrepiar-se; é como se tivesses ficado para sempre com a tua mão no meu ombro, e em vez de teres dito “adeus, até logo” , disseste adeus, apenas, adeus, apenas...