Wednesday, February 11, 2009

Um Foto-Poema



Direitos Reservados

Já nasceram as magnólias

Junto ao carteiro dos aliados ,
A árvore mais tímida da praça (mais ainda que a menina da fonte),
Despiu-se para mostrar as magnólias mais lindas do mundo.

Não sei se é a brancura ou a forma labial como se abrem as pétalas,
Mas Tenho a sensação de que sou beijada quando passo por ela.

Ao mesmo tempo, quando atravesso a rua e a contemplo,
Não posso deixar de pensar como foi belo aquele tempo.

Foste vindo, devagarinho, e sem bater à porta,
Entraste e fizeste daquele Inverno o mais doce de sempre.


Gosto de pensar nele, como as magnólias da praça.
Tão lindas e súbitas nasceram,
Como eu me apaixonei por ti sem saber.

Talvez por serem de natureza rara,
As magnólias nascem e morrem em pouco tempo.
Deixando o banquinho da árvore sozinho,
E a memória de uma paixão de Inverno
Entre as cartas de amor que o carteiro guarda...

Filipa Cardoso