Monday, October 27, 2008

W. ( Oh My God!)

Fotografia: Direitos reservados


"A que horas é o filme do Bush?"- ouvia-se à entrada dos cinemas de Coimbra, e eu própria, massa dessa colectividade, fiz a mesma pergunta. "W" é um filme que nos leva a entender, se o verbo não é demasiado simpático, o Bush e a "sua" Guerra no Iraque.
Desde os tempos de jovem rebelde, em que vagueava por assim dizer pelo mundo, à sua ascensão política- primeiro como Governador no Texas, depois como presidentes dos EUA- , a ideia que perpassa é a de um homem religioso do Texas, que gosta de junk food, cães, e de ficar a assistir a jogos de baseball aos dominigos à tarde. Um americano demasiado comum, que fez da guerra do Iraque uma questão de honra, em que é preciso limpar o nome da família Bush. Ocorreu-me agora a ideia que entre ele e o Homer dos Simpson's não há muita diferença: um é personagem de desenhos animados, o Bush, ainda que pudesse ser personagem animada, preferiu ser presidente-ou melhor os americanos assim quiseram, porque afinal ele foi eleito.

Penso que quem sair da sala de cinema, vai inevitavelmente formular a mesma pergunta ( voltamos à massa colectiva): Foi este o homem que conduziu a maior potência mundial durante 8 anos?- ( exclamação: OH My God!!). E depois de fazer esta pergunta, ocorrem logo muitas outras numa metamorfose interrogativa: e agora, o que acontece se vence OBama? Será que o Mundo vai mudar de repente? Os EUA vão deixar de praticar a sua habitual ingerência em assuntos de política externa( usando um eufemismo)? Será que os americanos vão aceitar um presidente negro, tendo em quanto o racismo de muitos estados norte-americanos, nomeadamente o Alabama? Será que Doris Lessing fez uma premonição certa sobre o assassinato de Obama?
Será?

Muitas perguntas ainda não têm resposta. Mas espero sinceramente que OBama vença as eleições e consiga limpar a imagem negativa que o Mundo tem hoje da América, assim como os velhos preconceitos desse país que nasceu de um ímpeto liberal mas que ainda convive com o racismo e a xenofobia.